Laser Fracionado

O tratamento com laser fracionado (laser CO2, laser NdYAG 2940nm) provoca pequenas colunas de coagulação na pele, sem remover a epiderme, permitindo uma recuperação rápida com mínimos efeitos colaterais. Dessa forma, estimula o colágeno, reduz flacidez e melhora a aparência de rugas finas e profundas. O estímulo de colágeno se dá ao longo dos meses após o procedimento, quando se percebe uma pele mais bonita, lisa e rejuvenescida.

É indicado para o rejuvenescimento da pele, remoção de estrias, cicatrizes – especialmente provocadas por acne -, e também para o tratamento da flacidez. É um dos melhores métodos para o tratamento de rugas, já que atua profundamente na derme, estimulando colágeno. Além disso, clareia a pele e ajuda no fechamento dos poros.

Preparo da pele pré-tratamento:

  • Protetor solar deve ser aplicado diariamente na face por no mínimo duas semanas antes do procedimento;
  • É recomendado uso de medicamento antiviral, a ser iniciado no dia anterior ao procedimento, e mantido por cinco dias após, para evitar infecção por herpes vírus;
  • Pacientes com maior risco de hiperpigmentação devem aplicar agentes clareadores e despigmentantes por, no mínimo, duas semanas, preferencialmente 4 a 6 semanas antes do resurfacing laser.

O procedimento com laser fracionado deve ser feito em consultório. Há aplicação de creme anestésico uma hora antes do procedimento. Os seus olhos serão protegidos com um óculos durante todo o procedimento. É possível sentir dor e sensação de calor local durante o procedimento, que é bem tolerável

Dependendo de seu objetivo, serão necessárias de 2 a 5 sessões para realizar o procedimento, que levam entre 40 minutos e 1 hora cada.

A melhoria da pele é duradoura, mas como envelhecimento é um processo constante, poderão ser feitas novas avaliações de 6 meses a 1 ano, para verificar a necessidade de um novo procedimento.

Veja aqui o antes e depois:

Após o procedimento, é comum que você apresente vermelhidão e inchaço na pele. O edema pode durar até 15 dias, e a vermelhidão, até 30 dias. (figura1) Você pode ter uma sensação de queimação logo após o tratamento, que é passageira; eventualmente coceira pode ocorrer. Todos esses efeitos indesejados são minimizados com as orientações abaixo:

  • Sabonete: usar uma loção de limpeza suave para a higiene do local tratado. Enxaguar com água fria;
  • Proteção solar: evitar a exposição solar após o tratamento, aplicando o filtro solar de 3 em 3 horas;
  • Hidratante: aplicar pomada oclusiva várias vezes ao dia por 3 a 4 dias para prevenir o contato direto entre o tecido tratado e o ar durante o processo de cicatrização;
  • Calmante: se houver sensação de queimação, pode-se fazer compressas frias de chá de camomila ou borrifar água termal;
  • Anti-inflamatório: se a pele ficar muito irritada, pode-se aplicar creme corticoide nos locais de irritação;
  • Antiviral: recomenda-se o uso de antiviral iniciado no dia anterior, e mantido até 5 a 7 dias após o procedimento, a fim de se evitar infecções por herpes vírus;
  • Para reduzir o aparecimento do inchaço, recomenda-se dormir com o encosto elevado, principalmente nas duas primeiras noites;
  • Evitar água muito quente na região tratada durante o banho;
  • Evitar spray de cabelo e perfumes enquanto a pele ainda estiver cicatrizando;
  • Evitar esfoliação tópica por 4 semanas.

Lembre-se: ressecamento, vermelhidão e inchaço são comuns e desaparecem gradativamente. Siga essas orientações para ter um pós procedimento tranquilo e com menos efeitos indesejados.

As complicações com o uso do laser fracionado podem incluir hiper ou hipopigmentação (manchas), cicatrizes, formação de mília e dermatite de contato irritativa aos agentes tópicos utilizados no pós-tratamento. Pacientes que já tiveram herpes podem ter a reativação do vírus.

Você deve procurar um profissional habilitado para realizar este procedimento, como o dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Assim, você pode ter o resultado desejado minimizando os riscos e realizando o procedimento de forma segura e com toda a orientação.

Este procedimento é contraindicado ou realizado com cautela em:

  • Pele morena e negra;
  • Pacientes com tendência a cicatrizes queloides;
  • Portadores de vitiligo, lúpus e outras doenças fotossensíveis;
  • Pacientes com história de herpes vírus e infecções na pele;
  • Pacientes em uso ou com uso recente de isotretinoína;
  • Pacientes com problemas de cicatrização;
  • Gestantes.

Tire suas dúvidas